quinta-feira, março 19, 2009

Federal impede desfile do Bloco do Galeto - Final


Além de levar o Galeteiro, os federais queriam levar o frango como testemunha


Para quem não acompanhou o início da história, é melhor ler o post anterior.

Não imagine o leitor que a prisão do Galeteiro tenha sido um ato arbitrário dos federais. Um dos agentes chegou a afirmar que eles não precisaram de muito tempo para investigar e chegar ao verdadeiro culpado:

- Culpado de quê?! – indagava o Galeteiro, diante dos foliões.

O agente, então, apontou para o alto do poste e mostrou o flagrante:

- Foi você que fez esse gato! E foi esse gato que deu um pique na rede, queimando os nossos computadores! 

Foi verdade. A sobrecarga provocou um curto-circuito na sala ocupada pelos federais, no interior do Sambódromo, próximo às unidades das empresas prestadoras de serviços.

O Galeteiro tentou explicar. Informou que usava energia cedida legalmente mas, naquela noite, quando seria homenageado pelo Bloco do Galeto, resolveu começar a assar os franguinhos mais cedo. Como os técnicos ainda não tinham feito a ligação, ele mesmo resolveu subir no poste para fazê-la à sua maneira.

- Não adianta! – retrucou o agente:- Você está preso por ter feito o gato e queimado três computadores. – e, virando-se para dois componentes do bloco, que estavam fantasiados de frango, deu-lhes um ultimato: - E vocês também vão, como testemunhas.

Um dos frangos tirou a cabeça para tentar argumentar. O outro foi impedido pelo agente mais baixo, um gordinho folgado:

- Não se mexam! Têm que ir do jeito que estão. Ele (apontou para o Galeteiro), com a roupa de médico; e vocês, de frango.

Talvez de emoção, fome, medo, calor, sei lá, o frango que ainda estava com a cabeça rodopiou e caiu no chão, desmaiado. Os foliões ficaram mais nervosos ainda. Mais do que eles, os federais.

- Querem saber de uma coisa? – gritava o policial: - Acabou o bloco. Vão desfilar na …! Todo mundo fora daqui, já!

O Galeteiro recolheu os frangos e saiu batido. Os foliões foram na frente.  Só ficou o tira baixinho folgado, cobrando do colega:

- Mas você não ia meter o cara? Não ia dar-lhe um flagrante?

E o agente, descarregando a ira num drumete:

- Com que computador, ô mané?! 


Irritado, o federal acabou levando todos os componentes do bloco para prestar depoimento

Copyright Cláudio Vieira – 2009

Proibida a reprodução – no todo ou em parte do texto – sem a autorização do autor.


Um comentário:

Henrique disse...

COMPANHEIRO,SENSACIONAL! NÃO PODERIA TER SIDO ESCRITO POR OUTRA PESSOA.
UM GRANDE ABRAÇO